9 9206 3672
MENSAGEM DO DIA
11.08.2017
Lição na guerra
Foi durante a Primeira Guerra Mundial. De um lado, as trincheiras abrigavam alemães. Do outro, franceses. A troca de tiros era intensa.

Separando os inimigos, havia uma faixa de terra muito estreita, que não pertencia a nenhum dos lados. Um jovem soldado alemão, que tentara cruzá-la, foi baleado e acabou se enroscando na cerca de arame farpado.

Começou a gritar de desespero e de dor.

Entre o barulho ensurdecedor do combate, os norte-americanos podiam ouvir seus gritos. Não suportando mais aquela tragédia, um dos soldados franceses saiu da trincheira e rastejou na direção dele.

Quando os colegas perceberam o que ele estava fazendo, suspenderam o fogo. Mas os alemães continuavam a usar toda a artilharia. Até que um oficial alemão viu o gesto altruísta e ordenou que os seus comandados cessassem fogo.

Um estranho silêncio se estabeleceu. O francês desenroscou o ferido do arame farpado. Em seguida, o levou aos braços dos companheiros. Voltou-se e principiou a retornar para a sua trincheira.

De repente, uma mão pesada pousou em seu ombro. Olhou para trás e seus olhos mergulharam nos olhos do oficial alemão que trazia na farda a Cruz de Ferro, a mais alta condecoração alemã por bravura.

Ele arrancou a medalha da farda e a colocou no rapaz francês.
E cada qual, sem dizer palavra, retornou para a sua trincheira.
Certamente, os jovens soldados recomeçaram pouco depois a batalha, que a guerra impunha.

Mas, naquele dia, todos receberam a lição que guardariam e relatariam aos seus descendentes. A lição do altruísmo, que fez com que um soldado esquecesse que o outro era o inimigo e arriscasse a sua para salvar a vida dele.

Dentre todas as calamidades que atingem a humanidade, de forma periódica, a guerra é uma das piores. Vidas são destroçadas, esperanças fenecem. Jovens que deveriam estar nos laboratórios de ciências se encontram nos palcos da destruição.

Um bom sentimento não se alimenta de boas ações concedidas com a mão direita a quem lhe precisou para depois receber com a esquerda para o lembrar que um dia lhe estendeu as mãos. O sentimento bom se passa de mãos em mãos quando sua vida em plena abundância se convergir com aquele que precisar de ti.

Dar tudo o que você tem é ignorância, ceder um pouco é sabedoria e se você tem o costume de não dar nada, é apenas você sendo o que realmente é.

Dedicar um pouco do nosso tempo para ajudar o próximo, não é dever, promessa, nem obrigação de ninguém, isso se deve a um ato puro de solidariedade que parte do nosso coração.
MAIS MENSAGENS
Sabadão
Apresentação: Adriano Tarelli
Sábado, das 8h às 12h